Destino: San Andrés

O que falar dessa ilhazinha que conheci esses dias, mas já conquistou meu coração? Nosso destino de lua de mel foi em San Andrés, uma ilha com 26 kmº, que pertence à Colômbia porém se encontra mais próxima da Costa Rica (cerca de 191 km contra os 775km até a Colômbia). 

O que é preciso para entrar na ilha?
Só usamos o passaporte, mas como pertence a Colômbia, só o RG é necessário. Lembrando que é necessário pagar uma taxa de entrada, pegar a "tarjeta de turismo" e guardar com você. Ela será pedida ao chegar e ao sair do aeroporto e pode ser encontrada em um balcão de check-in ou de informações da companhia aérea em que você vai viajar. Pode-se comprar aqui no Brasil, ao fazer o check-in, ou no aeroporto que antecede sua chegada à ilha. Uma notícia não muito boa é que em maio de 2016 o preço passará de 52 mil pesos para 99 mil pesos.

Informações Úteis
  • A tomada é padrão americano. Logo, é bom levar um adaptador para as tomadas.
  • É muito bom ter uma máscara de snorkel e uma sapatilha de neoprene, já que em alguns lugares o fundo do mar tem muito coral e pedras. Se quiser comprar antes de ir, tudo bem, mas chegando na ilha, há várias lojinhas que vendem por um bom preço. Pesquise e compre, será bem útil.
  • Algumas pousadas/hotéis não tem água quente. É bom se informar antes caso essa seja uma coisa MUITO indispensável para você. Ouvi relatos que tem pousada que a água além de ser gelada é salgada. então leiam bem os comentários do lugar onde ficarão antes de fechar.

Ao chegar no aeroporto, depois de retirar a bagagem e passar pela imigração, se necessário usar a internet, você pode ir em um café, comprar algo e assim utilizá-la, já que o aeroporto não disponibiliza acesso gratuito. 
Saindo do aeroporto e indo ao hotel (dava para ir a pé), essa foi a primeira vista beira mar tivemos, lindo né?



A ilha tem várias opções de passeios, e a maioria deles ficou num preço bem bacana. Falando em preço, vale lembrar que câmbio Real x Peso Colombiano só é possível no aeroporto, fora dele o melhor é trocar dólares, e a melhor cotação foi no Bancolombia (necessário o passaporte). Há várias opções de lugares para comer, assim como barraquinhas e lojinhas para compras.



Onde comer?
Fomos a vários lugares para comer, mas vou recomendar dois que valem muito a pena. O primeiro é o El Corral, estilo Mc Donald's mas com um porém BEM vantajoso: os hambúrgueres são feitos 100% com carne, tipo artesanais mesmo, e são muito caprichados. Não deixem de provar as malteadas! Sem contar na vista, ele fica beira mar, então se você se sentar na parte de fora, terá uma vista e uma brisa super agradáveis.

   Foto: tripadvisor

Outro lugar que você tem que ir, pela fama e pela qualidade da comida, é o La Regatta. O restaurante fica na beira do mar, com uma vista linda, o menu tem diversas opções, a comida é muito boa e o preço não é tão absurdo como eu pensava. Tem que fazer reserva com pelo menos 2 dias de antecedência se você quiser um bom horário.


O que visitar?

Aquario e Haynes Cay

Um dos passeios indispensáveis para se fazer em San Andrés é o Acuario, Você paga por um passeio, saindo da costa até lá (uma dica: sentem o mais na frente que puder, quem senta atrás vai o caminho todo com água no rosto) e chega em questão de minutos. O mar é incrível, de cor transparente e você pode nadar com alguns peixinhos (não deixem de levar máscara para mergulhar). Ah, a data das foto abaixo estão erradas, não reparei nisso de imediato, fomos para lá em Março de 2016.






Muito perto do Acuario (muito mesmo), encontra-se o Haynes Cay. Na verdade parece que fazem parte de uma coisa só. Não andamos muito por lá, gostamos mais do Acuario, então fomos até Haynes Cay e logo voltamos para aproveitar o restinho do tempo. Lá há uma mulher que fica com umas sacolas para guardar os pertences, ela coloca em uma sacola, tipo aquelas retornáveis de mercado, e coloca todas as sacolas juntas, então qualquer um pode pegar qualquer sacola que ela não vai lembrar qual é de quem, então leve o mínimo possível de coisas, para não ter que deixar muito por lá. Ah, não esqueçam de uma câmera a prova d'água.




Johnny Cay

Localizada a aproximadamente 1,5 km de San Andrés. a Johnny Cay é outro passeio imperdível. Ele pode ser feito juntamente com o Acuario, mas indico fazerem separadamente (o preço é o mesmo). Tentem pegar o primeiro horário para a ilha, assim não precisarão nem de guarda-sol, é possível encontrar muita sombra embaixo de árvores e coqueiros a beira mar. A ilha não tem energia elétrica, portanto não funciona até muito tarde. Podem almoçar por lá, se divertir com danças típicas, bebidas (o famoso coco loco), e um mar com cores incríveis. Há mais adentro uma área verde, tipo um parque, onde você pode estender sua canga pós almoço e descansar.
Uma dica: não esqueçam o nome do barco que levou vocês até lá, na hora de retornar, é um vuco-vuco de gente querendo ir embora e com medo de ficar na ilha, e você tem que voltar no mesmo barco que veio, pois os barcos tem portos diferentes.






Rocky Cay

Frente a uma das mais belas praias da ilha de San Andrés, podemos andar por um bom trecho no mar, com a água um pouco acima da cintura. Rocky Cay fica a poucos minutos do centro (de carro) e é uma plataforma de rocha desabitada, cercada por palmeiras e com um visual muito bonito. Uma dica ao ir até essa praia é pegar um táxi, ou fazer como fizemos, alugar um carrinho de golf com tração e visitá-la durante nossa volta na ilha (abaixo explico nosso trajeto). 



A poucos metros da ilhota há um navio de carga encalhado já enferrujado flutuando pelo mar caribenho. Na beira da praia, há diversos restaurantes, onde você pode desfrutar de sombra, uma boa comida e deixar suas coisas por lá enquanto toma um banho de mar.




Passeio pela ilha





Outra coisa indispensável de se fazer é alugar um carro e dar uma volta na ilha, sentir a brisa no rosto e ver paisagens lindas. Alugamos um, parecido com um carrinho de golf, mas com um pouco de tração. Para alugar você não precisa de habilitação, nem documentos, nada. Só pagar, pegar o carrinho e devolver na hora marcada. Passamos pelo West View, Piscinita, Rocky Cay e La Loma.

West View

Foi um dos lugares que mais gostei de ir. É tipo uma piscina beira mar e funda (aluguei um colete, pois meu nado é bem básico), te dão pão na entrada e você joga para os peixes. Muito melhor que o Acuario e bem parecido com a Piscinita (veja abaixo). Passaria muitas horas por lá, mas como tínhamos uma ilha inteira ainda à explorar, ficamos só uma boa parte da manhã. Dica: chegue o mais cedo que puder, pois estará quase vazio, depois começa a lotar de gente. Valor da entrada: 4 mil pesos por pessoa.




La Piscinita

É bem parecida com o West View, você também paga para entrar e ganha pão para os peixes. Entrei sem colete, primeiro porque não vi nenhum a venda e segundo porque pensei que fosse mais raso, mas não, é bem fundo também, tem peixinhos e é lindo!





Igreja Batista

Ficamos em dúvida se íamos lá ou não, mas como estávamos no caminho, decidimos dar uma passada no bairro de La Loma e subir até a torre da igreja para desfrutar a paisagem. O bairro é o mais pobre da ilha, e parece ser meio perigoso, mas quando percebemos isso, já estávamos bem perto e decidimos continuar. Essa igreja é a mais antiga Batista da América, fundada em 1844. Pagamos uma taxa e subimos até a torre do sino. Na verdade, subi, o Wallace ficou embaixo e eu não aproveitei muito desse passeio. Quem tem alguma fobia de lugar alto ou apertado, cuidado. A igreja é toda em madeira, e a escada para subir até a torre é bem íngreme e de madeira também, o que me fez pensar em desistir algumas vezes. Logo, cheguei na torre do sino, um lugar super apertado e morrendo de medo, pensando em como seria a descida. Bom, mas tirei algumas fotos lá de cima, vejam:




Spratt Beach

É a praia tipo urbana, bem próxima ao centro comercial da cidade e cercada de hotéis e restaurantes. Aos domingos ela fica lotada com a população local, mas durante a semana é uma boa opção para quem quer sentar embaixo de um coqueiro, sentir a brisa do mar e ver a beleza em cores azuis. A praia é urbana, mas mesmo assim conseguimos ver alguns peixes na água.

Compras
Em muitos sites vi o pessoal falando que a ilha é boa para compras. Só se for de bebidas, do resto, achei mais caro que o Dutty Free (aliás os perfumes no Duty Free de San Andrés compensam bem o preço). Alguns cosméticos também tem preço bom, como o kit do Crece Pelo e Silicon Mix. Há muitas lojas com perfumes, eletrônicos, roupas e acessórios de grife, porém acho que em um preço não tão convidativo, talvez faltou pesquisar mais, mas opções tem de sobra.

Gente, foi uma viagem muito boa, super compensou, pegamos uma promoção de passagem, e os preços de consumo lá foram menores do que pensamos. Vale a pena! 
Já foram pra lá? Conte para nós sua experiência!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...