Destino: Veneza


Veneza é um lugar inexplicável. Isso porque é diferente de qualquer lugar que a gente já viu. Nossa viagem pela Itália durou apenas 5 dias, então para não deixar Veneza de fora, fizemos um bate-e-volta a partir de Florença. A dica é pesquisar trem bem antes, quando os preços estão bem baixos. Li muita gente falando que Veneza não é tudo aquilo, mas acreditem, É SIM!

Fizemos um itinerário meio louco, só pra comer macarrão a bolonhesa em Bolonha! Isso mesmo, fomos de Florença ate Bolonha e de Bolonha até Veneza, com parada de 1 hora na ida e na volta em Bolonha. Na ida, como era bem cedo, fomos bem rápido ao centro da cidade, que estava vazio e fresco (fomos no verão, média de 35 graus), tiramos umas fotos e voltamos. Achamos a cidade bem simpática e válida para uma visita, caso tenha mais tempo por lá.




Na volta, paramos para jantar em um restaurante bem perto da estação de trem, na Galeria Due Agosto 1980. Por lá há vários lugares para comer, paramos no Bar AB. Tanto a lasanha, quanto o macarrão por 5 euros cada, e lógico, pedimos urgência pois tínhamos o trem partindo em 50 minutos. No fim deu tudo certo.





Não digo que foi o suficiente, porém acho que Veneza não necessita de uma visita muito longa, primeiro por ser bem pequena e segundo pois a Itália tem tantos outros lugares para se ver que seria pecado gastar tudo em uma única cidade.

Bom, voltando a Veneza, recomendo passar uma noite por lá, a vista deve ser incrível. Mas não há necessidade de mais de 2 dias. A primeira pergunta que todo mundo faz quando falamos que fomos à Veneza é "andaram de gôndola?". Não, não fizemos o passeio por dois motivos: primeiro pois estava muito caro, 80 euros, com o euros valendo mais de 4 reais e, depois, o sol estava insuportável, então optamos em ficar no vaporeto mesmo e passear na sombra.

Quando ir?
Fomos no alto verão. Não recomendo por dois motivos. Primeiro, o sol escaldante que não nos deixou nem dar uma passeio de gôndola (tá, o preço também influenciou para não darmos um rolê de gôndola). O segundo motivo é que o período de verão é o mesmo de férias na Europa, então estava MUITO MUITO lotado. Creio que a melhor época seria começo do outono, já que o inverno deve ser bem frio.
O bom do verão é que as fotos sempre saem com um lindo céu e quase nem chove, então não há muita coisa que atrapalhe o passeio.

Como chegar?
Não é permitido transitar de carro pelas ruas de Veneza, então, se forem de carro, terão de parar em um estacionamento logo após a ponte principal na entrada da cidade. Há vários estacionamentos por lá, numa faixa de preço de €20 por dia. Se for de trem pode atravessar a cidade a pé, ou já pegar um vaporeto até a Piazza San Marco. Você compra o ticket para o Vaporeto nos pontos em que ele para. O ticket normal do Vaporeto vale por 75 minutos, desde que você siga sempre a mesma direção.  Há descontos para tickets válidos por mais tempo. Acho super válido, pois você para em vários pontos turísticos e ainda aproveita o passeio pelo grande canal.


Onde ir?
Chegando na Piazza San Marco (só seguir o fluxo e as placas) há o Campanário de São Marcos (Campanile de San Marco), onde você pode subir e contemplar a vista de Veneza por cima. O valor da entrada é de €8 e há elevador. Horário de Funcionamento: Outubro: 9:00 às 19:00 - Novembro até a Páscoa: 9:30 às 15:45 - Páscoa até Junho: 9:00 às 19:00 - Julho à Setembro: 9:00 às 21:00.




Na mesma praça está o Palácio Ducal (Pallazo Ducale), centro do poder político por muito tempo e a Basílica de San Marco. A entrada no palácio custa 16 euros e funciona até as 19:00 no verão e até 17:30 no inverno. Já a entrada na Basília é gratuita e até as 17:00, porém não se pode entrar com mochilas e nem mostrando ombros ou com roupas curtas. Nesse caso a dica, assim como em Roma, é: leve sempre um lenço na bolsa para cobrir os ombros, caso esteja de regata e mais um para as pernas, caso esteja com roupa curta. Quanto à mochila, existe um guarda-volumes não muito perto da basílica, não sei o preço pois assim que fomos barrados por estar com mochila, eu entrei enquanto o Wallace aguardou bem na frente da entrada da Basílica (sem fila), e depois revesei com ele. Vale a pena a visita!Há também o museu de San Marco onde são mantidos os cavalos de bronze originais, com entrada a €5. A Torre do Relógio é uma joia do Renascimento, com uma vista única sobre a Piazza. Funciona das 12:00 às 16:00 e os ingressos só podem ser comprados antecipadamente por €12.

Outro ponto turístico de Veneza é a Ponte di Rialto, que foi minha decepção. Ela estava metade em reforma e com um banner gigante de propaganda no meio dela. Porém, atravessá-la não deixa de ser algo marcante.


Existem vários sites onde você pode encontrar mapas e guias para ajudar, e muito, no seu passeio. Um guia com mapas bem completo que encontrei, pode ser visto AQUI.
Aí fomos andando pelas ruas, nos perdemos (o que é bem fácil por lá) e paramos no Museo Storico Navale, com uma vista muito bonita e uma sombra muito boa para descansar um pouco.



Onde comer?
Não fomos em nenhum lugar muito específico. Paramos em um lugar que vendia pizza, wrap, etc. e comemos por lá mesmo. A dica é não procurar nada muito perto da Piazza de San Marco, lá os preços são pega turista.


Dicas Úteis

  • Em Veneza existe o Tourist Pass que dá direito a 48 horas de transporte público + ingressos para Palazzo Ducale e outros 10 Museus de Veneza + 16 igrejas, Fundação Querini Stampalia e Museu Hebraíco por €69.90. Mais informações: http://www.veneziaunica.it/
  • Existe também o Museum Pass que dá direito à ingresso nos Museus da Praça de São Marcos (Palazzo Ducale, Museu Correr, Biblioteca Marciana e Museu Arqueológico Nacional) por €17,50.
  • Os banheiros públicos em Veneza são pagos €1.50 na cidade e €1 na estação do trem. Não adianta procurar por banheiros gratuitos pois por lá, eles não existem.

Qualquer dúvida, só comentar aqui que eu respondo!
Beijos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...